DocLisboa no Museu do Oriente com entrada livre

DocLisboa no Museu do Oriente aos domingos com entrada livre - Onde Lisboa

O Museu do Oriente junta-se ao DocLisboa e apresenta, todos os domingos de fevereiro (dias 3, 10, 17 e 24), às 17h00, cinco filmes diretamente relacionados com as grandes transformações geopolíticas da modernidade.

A entrada é livre e todas as sessões serão apresentadas por programadores do Doclisboa, seguindo-se uma conversa com o público.

“City of Jade” (Midi Z, Taiwan / Birmânia, 2016, 99’)

Será a estreia nacional, a 3 de Fevereiro, da história pessoal do realizador Midi Z.

Quando tinha apenas 5 anos, o seu irmão mais velho, então com 16, abandonou a família. Surgiram rumores de que haveria encontrado tesouros na mítica “Cidade do Jade”. Só o voltou a ver anos depois, afinal um homem pobre e viciado em ópio. Anos passaram, o realizador sai da escola de cinema em Taiwan, e o irmão é libertado da prisão de Mandalay.

“The Great North Korean Picture Show” (James Leong e Lynn Lee, Singapura (filmado na Coreia do Norte), 2012, 93’)

Apresentado no dia 10, retrata o poder da indústria cinematográfica norte-coreana, uma ferramenta crucial na maquinaria de propaganda do regime.

Pela primeira vez, realizadores estrangeiros puderam entrar na única escola de cinema do país – uma instituição de elite, onde jovens talentos são treinados para criar obras, não apenas para entreter, mas para ajudar a moldar a psique de uma nação inteira, construindo assim, pelo cinema, a auto-representação de um país e de um povo.

“Ismyrna” e “Dis-Moi”. “Ismyrna” (Joana Hadjithomas e Khalil Joreige, Líbano / França / EAU, 2016, 50’)

A 17 de Fevereiro, o Museu do Oriente apresenta uma dupla sessão sobre a história de Joana Hadjithomas e da poetisa Etel Adnan, que se conheceram há 15 anos. Rapidamente se tornaram próximas, pela partilha de uma cidade onde nunca estiveram: Esmirna, na Turquia.

As suas histórias pessoais, as imagens que possuem e as remetem para esse lugar de um passado seu, mas onde nunca estiveram, dão-nos o pano de fundo para as mudanças na região após a queda do Império Otomano.

“Dis-Moi” (Chantal Akerman, França, 1982, 45’)

Documentário realizado no quadro de uma série de televisão sobre avós. A realizadora visita três mulheres idosas de ascendência judia e pede-lhes que lhe falem das suas avós.

Sentadas nas suas salas de estar, filmadas em planos fixos, um mundo inteiro desaparecido em campos de concentração regressa à vida nas suas palavras.

“Once I Entered a Garden” (Avi Mograbi, França / Israel, Suíça, 2012, 97’)

No último domingo do mês,  um Velho Médio Oriente em que as comunidades não se dividiam étnica ou religiosamente, em que nem as fronteiras metafóricas tinham lugar.

Na aventura conjunta de Ali e Avi, na viagem que empreendem às próprias histórias partilhadas, o Médio Oriente de outrora – aquele em que podiam coexistir sem esforço – ressurge facilmente.

DocLisboa no Museu do Oriente

Quando: 3, 10, 17 e 24 de fevereiro às 17h00
Onde: Auditório do Museu do Oriente
Preço: Gratuito

 

3 Fevereiro

CITY OF JADE
Midi Z, Taiwan / Birmânia, 2016, 99’
Estreia em Portugal

10 Fevereiro

THE GREAT NORTH KOREAN PICTURE SHOW
James Leong e Lynn Lee, Singapura (filmado na Coreia do Norte), 2012, 93’

 

17 Fevereiro

ISMYRNA
Joana Hadjithomas e Khalil Joreige, Líbano / França / EAU, 2016, 50’

DIS-MOI
Chantal Akerman, França, 1982, 45’

24 Fevereiro

ONCE I ENTERED A GARDEN
Avi Mograbi, França / Israel, Suíça, 2012, 97’

Relacionados

Share

Deixe uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.