Onde ir e o que fazer GRÁTIS em Lisboa?

Sinal dos tempos. Em épocas veraneantes como a que vivemos, é com especial agrado que todos os dias vemos os nossos caríssimos turistas estrangeiros a desembolsar umas (consideráveis) ajudas ao nosso turismo. Pois bem, esta semana perguntámos a nós mesmos precisamente o inverso: o que é que Lisboa nos pode mostrar sem gastarmos 1 euro que seja? Venha connosco para mais uma voltinha: a menina desta vez não paga, mas também anda.

Tema cada vez mais comum: os preços das entradas nas atracções da cidade de Lisboa e a inevitável comparação com os preços das outras capitais europeias e correspondentes salários…Não saindo por vezes muito bem na fotografia, a nossa menina e moça ainda nos consegue surpreender com algumas ofertas para fintar os preços turísticos e descobrir um pouco mais da cidade, não fosse esse o nosso papel (dever?).

O Domingo constitui-se, muito provavelmente, como o dia de eleição para o passeio, até pelo facto de muitas instituições (museus, principalmente) proporcionarem entrada gratuita aos visitantes no primeiro domingo de cada mês. No Verão, o dia sagrado da semana é ainda mais recomendável para um programa destes, pois todos sabemos da difícil tendência que os lisboetas têm para resistir aos raios de sol da Caparica, o que faz com que haja menos gente a deambular pela capital…

Como tal, apresentamos as nossas escolhas para o passeio mais low-cost da cidade. No campo dos museus, além dos obrigatórios Museu Coleção Berardo, Museu da Electricidade (ambos com entrada gratuita a qualquer dia da semana) ou Museu de Arte Antiga (entrada gratuita ao primeiro domingo de cada mês), deixamos outras sugestões por vezes esquecidas pelos lisboetas, entre os vários que se tornam gratuitos aos domingos e feriados. Ora veja:

Concertos, museus e bicicletas

1. “Museus que ainda não conhece em Lisboa”
Se já se tornou um leitor assíduo do Onde Lisboa, reconhece esta frase. Se ainda não o é, saiba que é um dos nossos artigos preferidos e que não resistimos a selecionar alguns deles para que constem desta lista. Em qualquer um dos citados, a entrada é gratuita ao primeiro domingo de cada mês.
 
Casa Museu Anastácio Gonçalves
A Casa que em tempos foi o atelier do pintor José Malhoa foi também residência do Dr. Anastácio Gonçalves, o qual organizou aqui o seu espólio: uma notável coleção de pintura portuguesa dos séculos XIX e XX, peças de porcelana de várias dinastias chinesas e ainda uma vasta coleção de mobiliário português dos séculos XVII e XIX.
 
Onde: Avenida 5 de Outubro, 6-8 – Saldanha
Como chegar: Autocarro: 707, 727, 736, 738, 744, 783, 798 | Metro: Saldanha ou Picoas (linha amarela)
Horário: Terça das 14h às 18h | Quarta a Domingo das 10h às 18h
 
Museu Nacional do Azulejo
O Museu Nacional do Azulejo está instalado no antigo Mosteiro da Madre de Deus, ocupando vários espaços das antigas alas conventuais do edifício. É daqueles espaços em que a riqueza do espólio rivaliza com a beleza do espaço. Destaque para a sala dedicada inteiramente ao grande painel de azulejos da imagem de Lisboa (de Algés a Xabregas) antes do Terramoto, com mais de 20 metros de comprimento.
 
Onde: Rua da Madre de Deus, 4 – Entre Santa Apolónia e Xabregas
Como chegar: Autocarro: 718, 728, 742, 759, 794 | Metro e Comboio de Santa Apolónia a 20m a pé do Museu 
Horário: Terça a Domingo das 10h às 18h
 
Museu Nacional de Etnologia
Por cima do Estádio do Restelo e com uma bela vista sobre o rio fica o Museu Nacional de Etnologia, ideal para quem procura descobrir um pouco mais sobre a história da antropologia portuguesa. Recentemente foi inaugurada a Exposição Permanente “O museu, muitas coisas”, uma exposição composta por 7 núcleos temáticos.
 
Onde: Avenida Ilha da Madeira (Restelo)
Como chegar: Autocarro: 714, 728, 732
Horário: Terça das 14h às 18h | Quarta a Domingo das 10h às 18h

 

2. Núcleo Arqueológico do Castelo de São Jorge
Não é gratuito para todos, é um facto. Mas a quantidade de lisboetas que (ainda) não conhece os meandros do Castelo de São Jorge é tal que achámos imperativo fazer-lhe referência. Além de toda a zona do Castelo propriamente dito, o Núcleo Arqueológico foi recentemente alvo de obras de conservação, com um projecto do arquitecto João Luís Carrilho da Graça. Trata-se de um conjunto de vestígios arqueológicos visitáveis e que representam as primeiras estruturas habitacionais de Lisboa, segundo três épocas, que vão do séc VII a.C. até às habitações palatinas destruídas pelo terramoto de 1755.
Os residentes do concelho de Lisboa têm entrada gratuita a qualquer dia da semana, sob apresentação de um comprovativo de residência: carta de condução ou outro documento que comprove a morada. A apresentação do cartão do cidadão requer o PIN da morada.
 
Onde: Rua de Santa Cruz do Castelo
Como chegar: Autocarro 737 | Elétrico 12 e 28
Horário: 1 Nov. a 28 Fev. das 9h às 18h | 1 Mar. a 31 Out. Das 9h às 21h
Contacto: 218 800 620
Observações: A vista. Impagável!

3. Parque da Serafina
Não nos esquecemos da pequenada. E como tal, uma das referências da nossa infância continua a ser gratuita. O Parque da Serafina (também conhecido por Parque dos Índios) é o local perfeito para deixar a pequenada cansar-se nos muitos espaços lúdicos que oferece, desde o barco dos piratas à escola de condução infantil (ideal para bicicletas, carros telecomandados, triciclos e afins). Para os papás, a cafetaria e o miradouro servem como descanso para o fim do dia.
 
Onde: Mata de Monsanto

Como chegar: Autocarro: 770

Horário: Outono / Inverno – 1 de Outubro a 31 de Março: 9h às 18h | Primavera/ Verão – 1 de Abril a 30 de Setembro: 9h às 20h

Contacto: 213 614 400

Observações: conheça aqui outras sugestões para passar um dia diferente com os mais pequenos.

 

4. Rota dos Miradouros
É, provavelmente, o artigo que mais vezes referenciámos. E não nos cansamos dele, antes pelo contrário. Para este artigo em que se pretende um passeio diferente e gratuito, lançamos o repto: um miradouro por fim-de-semana. Vai ver que não se cansa e que ainda há muito para descobrir por aí…
 
Onde: em vários locais de Lisboa. Mas aqui ficam as sugestões: miradouros menos conhecidos de Lisboa.

5. Museu Nacional de Arte Contemporânea (Museu do Chiado)
Apesar de muitas vezes ofuscado pelo mediatismo das colecçoes do Centro de Arte Moderna da Gulbenkian e da Colecção Berardo, o Museu do Chiado é um dos museus obrigatórios a conhecer em Lisboa, pois consegue fazer um percurso permanente pela arte portuguesa, desde o período do séc XIX até às tendências da actualidade. No verão, são comuns os concertos (gratuitos) no pátio da cafetaria. Também aqui, a entrada é gratuita ao primeiro domingo de cada mês.
 
Onde: Rua Serpa Pinto, 4
Como chegar: Autocarro: 58 e 100 | Elétrico 28 | Metro: Baixa-Chiado (linha azul)
Horário: terça a domingo das 10h às 18h
Contacto: 213 432 148

 

6. MUDE – Museu do Design e da Moda
O MUDE é um dos museus mais recentes da capital e, por enquanto, conta com entrada gratuita em qualquer horário. Instalado no antigo edifício sede do BNU (os cofres são visitáveis), o projecto dos arquitectos Ricardo Carvalho e Joana Vilhena veio criar um espaço singular no panorama museológico lisboeta. O espólio engloba a colecção Francisco Capelo, composta por ícones do design e de moda que marcaram as várias tendências do século XX. Além da colecção permanente, as exposições temporárias instalam-se nos pisos superiores do museu.
 
Onde: Rua Augusta, 24 
Como chegar: Autocarro: 7, 28, 36, 44, 74, 92, 706, 709, 711, 735, 745, 746, 759, 781, 782, 794 | Eléctrico 15, 18 25, 28 | Metro: Baixa-Chiado (linhas verde e azul) ou Terreiro do Paço (linha azul)
Horário: terça a domingo das 10h às 18h | Encerra à segunda
Contacto: 218 886 117

7. Concertos FNAC
E eis que entramos agora noutro tipo de sugestões. Com especial incidência na capital nos meses de Setembro a Julho (em Agosto a programação faz uma pausa para férias), os concertos FNAC apresentam todo o tipo de músicos, dos emergentes aos já reputados em território nacional. É sempre uma boa maneira de ouvir os novos trabalhos de algumas bandas ao vivo de forma gratuita. Além de concertos, os eventos FNAC incluem apresentações de livros, palestras, entre muitos outros, todos realizados nas cafetarias das lojas.
 
Onde: várias localizações. Consulte a programação aqui.
Contacto geral: 707 31 34 35

8. SOU – Movimento e Arte
Se há boas iniciativas que contribuem para o processo de reabilitação (urbana e social) de um bairro, esta é sem dúvida uma das que merece atenção. Criado em 2004 como Associação Cultural sem fins lucrativos, o SOU veio dinamizar a zona dos Anjos com o seu espaço (aberto em 2008) e com a sua programação, focada na criação e programação artística. A sua programação é praticamente toda gratuita e inclui eventos como concertos, sessões de cinema, “quizs” culturais, espectáculos de artes performativas, entre muitos outros. Consulte-a aqui.
 
Onde: Rua Maria, 73
Como chegar: Metro: Anjos (linha verde) | Autocarro: 12, 30, 726. Eléctrico: 28.
Horário: segunda a sábado das 12h às 24h
Contacto: 211 547 790 | 934 808 869
Observações: no espaço SOU existe também um café com uma pequena esplanada.

 

9. Shortcutz – Mostra de curtas metragens
Com programação de Outubro a Julho, o Shortcutz toma conta do Bicaense (Bica) todas as terças feiras a partir das 22h. Tendo começado em 2010, o Shortcutz Lisboa exibe 3 curtas metragens por semana, sempre apresentadas por membros das suas equipas de criação. Uma das curtas é convidada (nacional ou estrangeira) e as outras duas fazem parte da competição para a melhor curta do mês. O conceito teve tal sucesso que já se expandiu a cidades como Berlim ou Amsterdão. Consulte aqui a programação.
 
Onde: Bar Bicaense – Rua da Bica Duarte Belo, 38-42
Como chegar: Metro: Baixa-Chiado (linhas azul e verde) | Autocarro: 758 | Elétrico: 28
Horário: todas as terças-feiras, às 22h (programação de Outubro a Julho).

10. Passeio de Bicicleta - Massa Crítica
Entramos nas sugestões mais desportivas deste nosso artigo: a Massa Crí­tica é uma iniciativa realizada em várias cidades a nível mundial e que consiste num passeio pelo meio da cidade, realizado na última Sexta-Feira de cada mês às 18h00. É uma celebração da mobilidade ciclista, tendo como objectivo marcar a presença das bicicletas no espaço público. É por isso frequente o número de participantes ascender às várias centenas. Mais informações sobre a Massa Crítica aqui.
 
Onde: Marquês de Pombal, no início do Parque Eduardo VII
Quando: Na última sexta-feira de cada mês às 18h no Marquês de Pombal.
Observações: Levar luzes, essenciais para andar à noite (principalmente depois da Massa Crítica)

11. NIKE RUN
Terminamos com a sugestão menos preguiçosa de todas. Uma corrida por Lisboa realizada todas as quintas feiras, sem sequer ser necessária inscrição prévia. Pois bem, a loja da NIKE do Chiado organiza dois percursos de dificuldades distintas, um com cerca de 6km e o outro com cerca de 11. É a solução ideal para quem gosta de correr e prefere fazê-lo em grupo. Basta aparecer e correr.
 
Onde: Ponto de encontro na Rua Garret, 23 - Chiado (dentro da Nike Store do Chiado)
Quando: Todas as quintas-feiras, às 20h
Como chegar: Autocarro: 9, 714, 759, 760 | Elétrico: 28 | Metro: Baixa-chiado (linhas azul e verde)
Observações: É aconselhável chegar um pouco antes para aquecer e alongar junto dos monitores. O percurso é divulgado na véspera aqui.

01A. Casa Museu Anastácio Gonçalves | 01B. Museu Nacional do Azulejo
01C. Museu Nacional de Etnologia | 02. Núcleo Arqueológico do Castelo de São Jorge
03. Parque da Serafina | 05. Museu do Chiado
06. MUDE | 08. SOU- Movimento e Arte
09. Shortcutz (Bicaense) | 10. Massa Crítica (Marquês de Pombal)
11. Nike Run (Nike Store Chiado)

Em jeito de conclusão, referir que cada vez mais são os eventos (pontuais) realizados um pouco por toda a cidade e que incluem concertos ou sessões de cinema gratuitas. Contudo, as escolhas que aqui apresentamos decorrem (até futuro aviso) durante todo o ano. Para todos os outros (e como no Onde Lisboa apenas referenciamos eventos esporadicamente na nossa página de facebook), sugerimos uma consulta da Agenda Lx. No caso de querer fazer novas descobertas (ainda) de outra maneira, deixamos uma referência ao nosso artigo:

Onde dar um passeio diferente em Lisboa?

De uma maneira ou de outra, é sempre uma ótima oportunidade para revisitar alguns clássicos e descobrir novos mundos por esta cidade fora. Assim seja.

Sugere outras opções para ir grátis em Lisboa? Partilhe connosco!

11 Comment

  1. Ana says: Responder

    Falta o Museu da Música! poucos conhecem, e durante a semana são só 2 euros!

  2. Sandra says: Responder

    Olá!
    Descobri que a Estufa Fria é grátis aos domingos de manhã bem como o Museu de Etnologia e o Museu de Arte Popular, aproveitem e se souberem de mais coisas grátis divulguem 😉

  3. fernando says: Responder

    O museu da Presidência da República que fica em Belém também é gratuito ao Domingo.até ás 13horas.

  4. Adorei a informação encontrada continuem em divulgar o que a nossa cidade tem.

  5. Inês Mendes says: Responder

    O Museu deo Chiado apenas é gratuito no primeiro Domingo de cada mês.

  6. Joana says: Responder

    O Museu da Eletricidade é sempre grátis!

  7. Sílvio Horta says: Responder

    As visitas gratuitas aos museus são apenas no primeiro domingo de cada mês. Foi alterado e sugiro que alterem também.

    1. Miguel Rocha says: Responder

      Sílvio, obrigado pela chamada de atenção.

  8. MARIA says: Responder

    LI QUE OS MUSEUS JÁ NÃO SÃO DE GRAÇA É VERDADE?

    1. Miguel Rocha says: Responder

      Maria, não é verdade. Como o Sílvio disse o modelo foi alterado. Agora os museus têm entrada gratuita ao primeiro domingo de cada mês.

  9. fernando says: Responder

    apenas alguns museus passam a ser gratuitos no primeiro domingo de cada mês. Está aqui a lista
    http://observador.pt/2014/06/01/museus-gratuitos-primeiro-domingo-mes/

    os outros continuam com as mesmas regras

Deixar uma resposta